Poema Velhas Tristezas

Poema Velhas Tristezas de João da Cruz e Sousa. É certo que encontram-se muitas referências à cor branca, assim como à transparência, à translucidez, à nebulosidade e aos brilhos, e a muitas outras cores, todas sempre presentes em seus verso (Wikipedia)
Poema Velhas Tristezas



VELHAS TRISTEZAS


 Diluências de luz, velhas tristezas
 Das almas que morreram para a luta!
 Sois as sombras amadas de belezas
 Hoje mais frias do que a pedra bruta.

 Murmúrios incógnitos de gruta
 Onde o Mar canta os salmos e as rudezas
 De obscuras religiões - voz impoluta
 De todas as titânicas grandezas.

 Passai, lembrando as sensações antigas,
 Paixões que foram já dóceis amigas,
 Na luz de eternos sóis glorificadas.

 Alegrias de há tempos! E hoje e agora,
 Velhas tristezas que se vão embora
 No poente da Saudade amortalhadas!... 



Cruz e Sousa
Broquéis



Por Blog Lexi Wiki


Leia também:

- Estrutura Paralela e Paralelismo
- O que é um Tema?
- Saiba Como Ler Literatura Ativamente
- Dicas para análise de texto de literatura sala de aula



Compartilhe Compartilhe Compartilhe Compartilhe .
Compartilhe em suas Redes Sociais!


>>Clique e confira as obras por autores:

0 comentários:

Postar um comentário

.
Tecnologia do Blogger.
 

João 3 16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

voltar